ESTÁS AQUI
Desporto NOTICIAS 

Carlos Morais conquista segunda posição na FIBA

O extremo angolano Carlos Morais ficou na segunda posição do concurso “Smash da Década”, promovido pela Federação Internacional de Basquetebol Associado (FIBA), com 63.887 votos dos internautas, num evento que distinguiu o melhor afundanço protagonizado entre 2010 e 2020, nos jogos das selecções.


A prova distinguiu o melhor smash de um atleta ao serviço da
respectiva selecção. O internacional angolano somou 44 por
cento de votos e perdeu para o iraniano Arsalan Kazemi

No anúncio feito ontem, pelo site oficial do organismo,

o “capitão” dos hendeca-campeões obteve 44 por cento das

preferências, atrás do poste iraniano Arsalan Kazemi, que atingiu 56 por cento de um total de 80.658 votos.

Durante três semanas, o despique contou com 32 finalizações de várias competições globais e continentais,

com todas as regiões continentais representadas.

Na sua conta oficial do Instagram, o internacional angolano

agradeceu a todos pelos votos e pela campanha feita nos diversos meios de informação. De igual modo, felicitous o vencedor.

“A todos os portais, amigos, familiares e seguidores, não saímos em primeiro, mas voltámos a colocar o nome do

país lá em cima.

Melhor Dunk de África e segundo melhor do mundo”, escreveu o jogador de 34 anos e 1,88 metros.

O troféu do concurso inédito escapou a Angola, apesar da “melhor execução técnica” do jogador do Petro de Luanda,

na opinião do comentarista da Rádio Cinco para a modalidade, Júlio Pinto “Viló”.

com uma publicação do portal angolano “Shaint Sport”, a assessorial do “craque tricolor” informou, domingo último, que cidadãos iranianos “hackearam” a página e fizeram com que os votos para Carlos Morais revertessem, de forma fraudulenta, para o oponente daquele país do Médio Oriente.

Kazemi conquistou a “coroa” com um lance durante

a realização do Torneio Olímpico de Qualificação em 2016,

ao passo que o “dunk” do craque angolano aconteceu

na partida diante de Moçambique,

na fase preliminar do Grupo C, no Afrobasket’2013, na Costa do Marfim. Antes de atingir a final, o iraniano mereceu a preferência dos internautas, ao eliminar Norvel Pelle (Líbano), Rui Hachimura (Japão) e Gabe Norwood (Filipinas), na conferência asiática, antes de suplantar o brasileiro Rafael Mineiro, na meia-final.

Morais venceu o poste senegalês Youssoupha Ndoye, com 58 por cento de votos. Eliminou na segunda fase o nigeriano Michael Gbinije (68) e Maurice Ndour (Senegal), (65), na terceira etapa. Segundo a publicação, os fãs que participaram da votação concorrem para o sorteio de uma bola oficial da 18ª edição do Campeonato do Mundo

China’2019. O vencedor vai ser confirmado brevemente.

Dos vários títulos na carreira, destaque para a conquista de cinco Campeonatos Africanos das Nações, Afrobasket

´2005, 2007, 2009 e 2013.

Em 2013, na cidade de Abidjan, Costa do Marfim, foi eleito Melhor Jogador (MVP) naquela prova continental.

Nas edições de 2009, Líbia, e 2011, Madagáscar, foi o melhor marcador dos três pontos. Em 2006, ao serviço do Petro de Luanda, clube que representa actualmente, conquistou a primeira Taça dos Clubes Campeões Africanos de basquetebol. Ao serviço do Recreativo do Libolo, em 2012, ergueu o segundo troféu. Em 2016 rumou para a equipa portuguesa do Sport Lisboa e Benfica onde conquistou cinco títulos: um Campeonato Nacional, uma Taça de Portugal, uma Supertaça e duas taças Hugo dos Santos.

POR: Armindo Pereira

Jornal de Angola

Artigos Relacionados

Deixar um comentário